Maurice Béjart (1927-2007)

“Dança não se aprende nos livros: é um ensino cal­cado no ensino. São cor­pos que con­fiam segre­dos a outros cor­pos. Não segre­dos difu­sos, mas uma ciên­cia, a dos músculos.” “Para mim, meu pri­meiro balé foi Symphonie pour um Homme Seul.1955. Foi feita sob música for­mi­dá­vel, impres­si­o­nante, violenta”. Nasceu Maurice Berger, filho do filó­sofo Gaston Berger, […]

Isadora

Musa da modernidade. “O pano se levan­tou e eu vi a Grécia, não a Grécia livresca dos sone­tões de Bilac que toda uma subli­te­ra­tura oci­den­tal vazava para a colô­nia inerme. Eu vi de fato a Grécia. E a Grécia era uma cri­ança semi-nua que colhia pedri­nhas nos ata­lhos, con­chas nas praias e com elas dan­çava. […]